segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Os melhores poemas que fiz

foram produzidos
quando estava embriagada
ou de vinho (coisa rara),
ou dos mais puros sentimentos,
dentre eles o amor.
 (Pilinga)

É, agora percebo:

ficamos sem uma conclusão;
meio que sem ponto final
ou reticências.

(Pilinga)

Retirada da internet

sábado, 5 de novembro de 2011

Vinho amigo


que adoça a minha boca feito um beijo,
embriaga-me feito o amor verdadeiro.
Esquenta-me, trás a pele minhas emoções
e derrama em mim a sensibilidade necessária para sentir.

Jogue em meus pensamentos as mais variadas cenas.
Faça-me escrever as mais belas palavras,
e que eu sinta verdadeiramente
a fim de fazer o mais humilde homem
sentir o que eu também senti.

Que teu calor possa servir para ferver em mim a paixão, e eu,
jogue o desejo ao ar com minha poesia
e faça o homem solitário apaixonar-se
verdadeiramente.

Vinho amigo
Abençoa-me com teu quente amor.
Uma poetisa precisa sentir-se assim para amar
e transferir em seus versos o que o homem mais precisa:
O AMOR!


Imagem retirada da Internet


quarta-feira, 26 de outubro de 2011

A morte de Pollyanna

     Se eu chego cedo e falo "Bom dia", você me pergutna: "o que é que tem de bom?". Se estou cantarolando qualquer coisa, você se irrita com minha alegria. Se ando as vezes aos pulos, você diz que eu não cresci. Meu vestir já te irrita pois aos teus olhos sempre pareço uma criança...
     Com o tempo meu "Bom dia" diminuirá a intensidade. Já não mais cantarei e andarei o mais arrastada e cansada possível. Andarei o mais cinza que puder e já não sorrirei com tanta facilidade...
     E você me perguntará, surpreendido e incdrédulo, o que aconteceu. Eu lhe responderei que matei a Pollyanna que existia em mim. Seu mundo cinza, que não quer se pintar, precisa provar do próprio cinza para acreditar na alegria e na vida.


 Imagem retirada da internet


quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Está aqui dentro

Você não percebe?
Eu posso sentir
é muito forte.
Ele me domina,
me completava e agora
me machuca.
É o amor que sinto por você.

Sinto mas...
preciso matá-lo.

É demais para mim, não posso mais.
Não vê que me fere tanto?
Eu só faço chorar
pelos cantos,
triste, magoada, sozinha.

Ele não é correspondido
e você sabe que nunca será.
Então me dê.
Por favor me dê o punhal.
Eu preciso tirar daqui.

Arrancando você dentro de mim
eu posso preencher com outro alguém.
Quem sabe não será recíproco?

Não seja egoísta.
Me dê o punhal.
Eu preciso tirar o que me faz tão mal.
Não é por você.
É por mim.

Imagem retirada da internet

domingo, 18 de setembro de 2011

Essa noite eu tive um sonho

Com você

É a coisa mais natural do mundo
sonhar,
mas este foi muito real.

Real até demais.

No meu sonho, era noite.
Nós dois sentados na praia,
você atrás de mim
e olhando o mar.

Você beijava meu pescoço,
acariciava meus ombros.
Eu arrepiava ao simples toque
das suas mãos em mim.
Seu cheio me entorpecia
e eu mal conseguia pensar.

O vento batia em meus cabelos
e bagunçava os teus também.
A luz da lua refletia no mar
e em teus olhos,
o que me enfeitiçava ainda mais.

Incrível,
me senti apertada em teus braços,
segura como antes me sentia.
Ouvia tua respiração tão perto do meu ouvido
que não parecia sonho,
você estava ali, eu tinha certeza.

Nossas bocas iriam se encontrar
e eu acordei.

Morfeu,
não brinque com meu coração.
Foi tudo tão real.
Você tomou a forma de meu amor
e me enganou.

Deus maldito dos sonhos!
Me devolva a praia e ao mar,
preciso amar!
Pelo menos nos sonhos,
o meu amor
eu quero encontrar.

Priscila (Pilinga)

Imagem retirada da internet

domingo, 11 de setembro de 2011

Há momentos que quero pedir a Deus

que tire você do meu coração.
Mas depois tenho medo
Dele atender o meu pedido.

Priscila (Pilinga)


Imagem retirada da internet

Calor

Refrescar-me em tua saliva,
tirar a minha saia da linha,
jogar-me em teus braços,
perder-me nestes laços,
esquentar a cama.

Respiração difícil
Desejo
Prazer.

Um calor de dentro
que vem de você.

Priscila (Pilinga)


Imagem retirada da internet

sábado, 3 de setembro de 2011

Conheci um cara

que para não se entregar
ao amor que sentia
por uma garota,
tentou observar somente
os defeitos dela.
De nada adiantou,
ele se apaixonou
por eles também.


Priscila (Pilinga)
Imagem retirada da internet


segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Fervilham dentro de mim mil sentimentos

que se confundem.
Não posso, não consigo controlá-los.
É muito mais forte que eu.
Me falta forças e fôlego para isto.

As lágrimas do coração teimam em sair
para lavar as feridas de longas batalhas.
Mas a razão bloqueia o fluxo natural da dor
tentando me puxar deste poço escuro que cai.

A cabeça não para de pensar
e os sentimentos gritam dentro de mim,
uns querendo sair, ficarem á mostra,
outros dentro, recolhidos só para mim
e si mesmos.

Eu não consigo nem gritar.
Cadê a voz?
Cadê a força?

O choro finalmente sai
para lavar as feridas de um coração partido.


sábado, 13 de agosto de 2011

Tenho amigos purpurinados sim

Isso não significa que sua purpurina pega em mim.
Uma preto e branco meio ao mundo arco-íris,
e muito bem respeitada,
obrigada!
Vai pra lá com sua homofobia,
esse seu preconceito de merda.
Sua biba mal resolvida.
Respeite meus amigos purpurina!

Imagem retirada da internet


Feito em homenagem a minha amiga Dally

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Ah, deixe-me escrever como quero!

Por que eu tenho de segurar minhas emoções,
ditas somente no curto espaço de uma pauta,
só pelo fato de te incomodar o que escrevo?
Deixe de hipocrisia!!
O que digo todos nós sentimos.
Amor
Ódio
Desejo
Raiva
Indignação

Se você esconde o que sente
na frente dos outros
eu não.
Pelo menos escrevo.
O que penso, sinto,
a respeito de mim, ou dos outros.

Te incomoda porque digo a verdade.
Te incomoda porque querias dizer o mesmo.
Te incomoda porque sentes desejos.

Respeite-me, por favor!
Não toquei em sua zona de conforto.
Não escrevi para ti,
antes de mais nada,
escrevi primeiramente para mim.

Ah, deixe-me escrever como quero!
Sexo
Prazer
Razão
Emoção
Tudo faz parte do mesmo ser.
Em mim não morreu.
Se quiser levo flores ao túmulo dos seus
mas...

Deixe-me escrever como quero!

Imagem retirada da internet

domingo, 7 de agosto de 2011

Me leve mar, para as suas profundezas.

Me leve para onde nunca fui.
Me mostre tua beleza, realeza,
pois aqui não é meu lugar.
Nada mais me prende aqui.

Me leve mar, para tuas profundezas.
Quero te dar toda a minha fraqueza
a ser consumida nestas águas frias.
Me leve daqui, oh mar,
pois aqui não é o meu lugar.
Quero me afogar em tua fúria
em dia de tempestade,
quero conhecer o mundo de uma outra maneira.
Me leve daqui mar!
Leve!

Imagem retirada da internet

Amei

Eu não queria mas te amei
Intensamente, loucamente
Noites em claro eu passei
e quanto chorei...
Agora não quero mais,
nem chorar nem amar.
Dói demais.

Imagem retirada da internet

Antologia

ShakiraPara amarte
Necesito una razón
Y es dificil creer
Que no exista una más
Que este amor

Sobra tanto
Dentro de este corazón
Y apesar de que dicen
Que los años son sabios
Todavía se siente el dolor

Porque todo el tiempo
Que pasé junto a ti
Dejo tejido
Su hilo dentro de mi

Y aprendí a quitarle
Al tiempo los segundos
Tú me hiciste ver el cielo aún más profundo,
Junto a ti
Creo que aumenté más de tres kilos
Con tus tantos dulces besos repartidos
Desarrollaste mi sentido del olfato
Y fue por ti que aprendí a querer los gatos
Despegaste del cemento mis zapatos
Para escapar los dos volando un rato

Pero olvidaste una final instrucción
Porque aunque no sé como vivir sin tu amor

Y descubrí lo que significa una rosa
Me enseñaste a decir mentiras piadosas
Para poder verte a horas no adecuadas
Y a reemplazar palabras por miradas

Y fue por ti que escribí mas de cien canciones
Y hasta perdoné tus equivocaciones
Y conocí mas de mil formas de besar
Y fué por ti que descubri lo que es amar
Lo que es amar ...

Ando num momento de ouvir músicas da Shakira. Então, aqui vai  uma das minhas favoritas. Espero que gostem! Beijinhos



segunda-feira, 1 de agosto de 2011

As folhas de papel tem sentimentos...

Eu acredito nisso porque, se pudessem escrever em mim
Eu gostaria de ser um lindo poema
Ou uma inesquecível história de amor

Nem todas as folhas de papel tem a mesma sorte,
Algumas pertecem a crianças, que só pensam em se divertir
Rabiscando, cortando e amassando uma folha de papel
Tirando dela toda a esperança de servir para algo bom algum dia

Ultimamente tenho me sentido assim
Como uma folha de papel
Que um dia já foi nova, bonita
Porem agora encontra-se rabiscada, usada
Amassada e jogada em um canto

E que, quando já estava perdendo sua fé
De que um dia, alguém apareceria e voltaria a escrever nela
Sente alguém a pegando, e tirando a poeira acumulada
De tantos anos de espera

E por incrível que pareça, a pessoa que pegou esta folha de papel
Não liga para os riscos e rabiscos marcados nela,
Nem se importa com os cortes e recordes marcados em sua simples página
Esta pessoa vê realmente algum potencial nesta folha

E começa a escrever nela, com toda delicadeza
Como se sua folha pudesse desaparecer ao simples toque
Uma linda poesia, sobre um novo amor
Deixando essa simples folha curiosa para saber,
Como vai ser o decorrer desta nova história..

No final, a folha só não quer parar em um canto novamente...

Teko

Imagem retirada da internet


Colaboração do Teko.
Obrigada mais uma vez!!
Esperamos pelos próximos em breve...


Ultimamente, eu tenho pensado em desistir

Parar de lutar, abaixar as minhas armas
Entregar minha mente e meu corpo já cansados
Enfim, desistir

Muitas vezes a vontade de desaparecer é muito forte,
 E tem ocupado minha mente com muita força
Se alimentando cada vez mais da minha tristeza, da minha raiva..
E aos poucos vou perdendo a minha fé..

Desistindo da vida, não enxergando mais a beleza do mundo
Perdendo aos poucos a capacidade de enxergar beleza aonde não existe
De encontrar um sorriso mesmo no meio do luto
De conseguir viver e ser feliz

Foi no meio desse caos que você me apareceu,
Linda, inteligente, calma...
Demonstrando qualidades das quais eu já havia desistido de procurar
As quais eu jurava que não poderiam coexistir em uma única pessoa

Você me da forças para continuar, mais não continuo por mim
A fé em mim mesmo eu já perdi
Agora minha fé é em você,
Por isso, não vou te deixar desanimar

Não vou deixar sumir esse sorriso lindo em seu rosto,
Mesmo que o meu mundo caia, vou me manter firme
Para pelo menos deixar o seu mundo existir
Mesmo que meu sorriso desapareça, vou me manter inabalável
O seu sorriso, pelo menos ele, eu faço questão de conservar

O seu chão pode cair, mais eu prometo te segurar em meus ombros
Jamais vou deixar você ao menos pensar em desistir,
Vou me manter forte, por você
Moverei montanhas, multidões
Desafiarei o céu, a terra e todos os Deuses

Só para manter a sua fé
E esse sorriso,
Esse simples e sincero sorriso,
Estampado em seu rosto..


Teko

Imagem retirada da internet

Galerinha, este poema não é meu.
Mais uma vez temos Teko colaborando com suas poesias.
Obrigada.

sábado, 30 de julho de 2011

Ah! Vem me morder

não sou feita de chocolate
mas posso ser.

Chocolate meio amargo
sombria e calculista.

Chocolate sensação
doce e carinhosa feito o morango

Chocolate crocante
meio durona,
mas uma delícia.

Ah! Vem me morder.
Não sou feita de chocolate
mas posso ser.

Imagem retirada da internet

Quero te ver mas, quando te vejo

quero fugir.
Quero te falar mas, quando a sua boca se abre
a minha se fecha.
Quero te abraçar mas, quando vou ao teu encontro
meus braços endurecem.
Quero te beijar mas, eu e você, dificilmente ocupamos
o mesmo espaço, ao mesmo tempo.
Quando?
Quando este medo sairá de mim
e você saberá meus segredos?
Serei rejeitada? Não sei!
Serei amada? Talvez!
O medo precisa sair de mim
para que eu seja feliz.

Imagem retirada da internet

terça-feira, 26 de julho de 2011

Meu primeiro amor

Gostaria de não ter conhecido você,
Para não ter sofrido tanto.
Ter descoberto o sentido da dor
Perdendo seu amor
é o que aumenta meu pranto

Lembrar de você
Todo dia, a toda hora
é um costume que eu quero apagar
Agora, eu tenho um novo amor
E em você não preciso mais pensar

Não vou dizer que o que passei com você
De nada valeu, não posso negar
Você me ensinou como perder um amor,
Mas também me ensinou o que é Amar

O amor que eu senti por você,
É algo que nunca vou esquecer
E isso eu também não posso negar

Você foi o meu primeiro amor,
E eu lhe agradeço por isso..
Porem agora eu preciso mudar

Meu coração agora pertence a outra pessoa
Que eu estou aprendendo a amar
E tudo isso só aconteceu
Graças a você que me ensinou a amar.

Teko


Caros amigos, este poema não é meu. 
Ele é do Teko que mais uma vez se sentiu inspirado para escrever.
Espero ler os próximos.
Obrigada Teko.

Queria

Queria ser amada loucamente
que a pegassem de jeito e a deixassem imobilizada.
E que os beijos fossem tão fortes e quentes
que a deixassem sem fôlego e sem como pensar.
Queria amar
ao ponto de chegar perto de alguém
e só de se encostarem
um fogo incontrolável se ascender dentro dela
como floresta seca em chamas,
como o próprio inferno.
Queria se sentir desejada
que a pessoa ao vê-la precisasse se controlar muito
e tomar cuidado para que seus olhos
não devorassem a amada.
Ela ainda quer.
Ela já amou perdidamente,
loucamente.
Mas verdadeiramente nunca foi amada.
Ela ainda espera e sonha
que o "querer" no pretérito do modo indicativo
se torne "ser" no presente do indicativo.

Imagem retirada da internet

domingo, 17 de julho de 2011

As vezes, quando a noite chega

Eu subo na pedra mais alta
Para poder ver as luzes da cidade
E me lembrar um pouco de você
Linda, viva, apaixonante
Assim como uma menina, moleca
Que mostra todo seu brilho,
Somente para quem tem paciência para ver

Sinto saudade do seu corpo no meu,
Da sua respiração no meu ouvido,
Do seu coração batendo em compasso com o meu.
Relembro-me um pouco do seu cheiro, da sua voz,
Do jeito como eu te pegava pela cintura,
E te fazia minha, mesmo que só por um momento

E quando me dou por mim
Me pego olhando para o céu
Admirando as estrelas
Que teimam em brilhar incasavelmente
Estagnadas no firmamento
E me lembro do brilho do seu olhar
Que costumava ficar estagnado em mim..

Sinto saudade de tudo em você.

Teko

Imagem retirada da internet


Caros amigos, este poema não é meu. 
Ele me foi dado de presente por quem se intitula "Teko". 
Agradeço imensamente pelo presente; ele ficará no blog e principalmente em meu coração.


Eu quero guardar meu coração

no fundo de um baú
dentro do porão,
onde ninguém mais possa achá-lo
e nele querer morar.

Eu quero guardar meu coração
a sete chaves
escondido de todos
os possíveis amores da vida.

Eu quero guardar meu coração
em um baú acorrentado
e que ele só saia de lá
para amar de verdade
e nunca mais sofrer.

Imagem retirada da internet

Quando eu morrer

quero ser enterrada sobre a sombra
de um pé de Ipê.
Vi, e ainda vejo, muitas coisas nesta vida,
mas a beleza triunfal de um
pé de Ipê
florido
é inexplicável.

Quero que seja a última coisa que eu veja
pela eternidade.
Por favor, me enterrem sobre a sombra
de um pé de Ipê.

Quero que no fim,
eu possa ter
sobre meu túmulo,
flores de Ipê que caíram
e forrem o chão
de um lindo tapete florido.

Me deem este gosto
me enterrem debaixo
de um Ipê.

Imagem retirada da internet

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Talvez...

     Talvez se eu não me preocupasse em tirar boas notas, muito menos pensasse na necessidade do conhecimento e sim em terminar logo os estudos que me chateiam tanto e me fazem perder tanto tempo que poderia ser gasto em uma boate. Talvez se eu não estivesse fazendo faculdade porque gosto de estudar, adoro ler e quero ensinar, mas sim por ser a coisa mais "cômoda" a fazer, o curso mais razoável e já que preciso de um diploma, pode ser qualquer um, se tiver de dar aula seria por pouco tempo até encontrar emprego com salário digno. 
          Talvez  se eu não desse importância para os gastos que meus pais tiveram até hoje comigo e deixasse de trabalhar pensando que "problema deles, ninguém mandou ter filhos". Talvez se eu não mais me calasse diante da burrice dita por alguém mais velho que eu, ou mesmo superior, e respondesse à altura do que eu ouvi com palavras inteligentes e em alta voz.
          Talvez se eu trocasse os dias que passo em casa de fim de semana, ou mesmo de férias, lendo meus livros, vendo TV e no computador, com intervalos longos de faxina, com dias inteiros passados na rua, com companhias estranhas, vindo para casa só para comer e tomar banho para sair novamente a noite sem ter hora para voltar. Ou talvez se quando eu saísse, não falasse para onde vou, não levaria celular e nem pedisse permissão para sair...
     Talvez se eu não me importasse com minha saúde, e bebesse qualquer coisa alcoólica descontroladamente voltando sempre alterada para casa, assim como fizesse do cigarro meu melhor amigo. Eu pudia fazer pior!
          Talvez se eu não desse ouvidos ao que as pessoas dissessem e sairia por ai fazendo e falando o que bem entendesse; eu me vestiria mais vulgarmente para ajudar. Talvez se eu não respeitasse meus pais. Talvez se eu trocasse a igreja por um bar e meus amigos de lá pelo primeiro malandro que topasse na rua.
          Talvez se eu não me importasse com os sentimentos alheios, quanto menos os meus, e dissesse "sim" a todos os homens que apareceram com interesse em mim, ficando e namorando com eles sem dar liga para nada, ignorando se o amor era recíproco ou não. Nesta "onda" eu seria amante de um ou outro que não estava nem ai de trair a namorada, eu também não me preocuparia com isto, afinal também trairia o meu ficante ou namorado, assim como meus sentimentos. Melhor ainda, talvez se eu não tivesse relacionamento estável, beijasse um por semana... Mas não, eu estou aqui sozinha porque não me vejo fazendo nada disso.
          Talvez...
          Talvez só assim eu passaria a ser vista com um pouco mais de "normalidade" pelas pessoas. Só assim elas respeitariam meu ponto de vista por me achariam um "mau elemento" para conversar ou mesmo estar perto, e em deixariam em paz. Talvez elas não me achariam uma mulher do século passado, uma bonequinha de porcelana ou um ET. Talvez! Ainda assim é uma incerteza.
          Interpretem como acharem melhor!

Hoje Priscila sentiu que precisava desabafar. 
Ela pede desculpas por ter sido no blog mas achou que fosse necessário.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Hoje acordei

um tanto assustada,
achei que tinha me esquecido
da cor dos teus olhos.

A cada dia que passa
fica mais difícil te guardar em mim,
o esforço é maior,
não sei até quando
te guardarei inteiro aqui.

O alivio veio
quando me lembrei
não só da cor
mas como me olhava.

Mas amanhã
posso não mais
me lembrar.

Imagem retirada da internet

segunda-feira, 11 de julho de 2011

O que será isto?

Isto que acontece aqui dentro de mim?
É uma força involuntária
totalmente fora do meu controle.
Ela que me faz pensar em ti
a todo instante,
dos primeiros raios de sol
ao meu deitar, e
até em meus sonhos, os mais belos,
a sua doce imagem aparece
me trazendo teu sorriso encantador.
Ela que me faz querer ouvir a tua voz
inventando em mim os motivos mais
estranhos para te ligar.
Ela que me leva para perto de tudo
que me faça lembrar você:
sua casa, seu trabalho, suas músicas favoritas.
Ela me carrega para seu universo
me transformando em estrela dentro dele,
e quer também que você conheça o meu
mas vire sol aquecendo tudo o que nele existe.
Dentro de mim um fogo se ascende quando me abraça,
encaixando-me perfeitamente em teus braços.
O que é tudo isto?
Eu não era assim antes de te conhecer...

Imagem retirada da internet

Contos de fadas


Que falta me faz
estar agora em um conto de fadas
onde tudo de ruim pode acontecer
mas, no fim 
os mauzinhos desaparecem
ou ficam trancafiados 
em masmorras
e a mocinha boa
encontra um príncipe
e vira princesa
e são 
"felizes para sempre"
...
Então, 
eu ainda sofro com meus 
problemas, 
sou "boazinha"
e não me aparece um 
príncipe de nenhuma terra.
Infelizmente
isto não terminará  com
"felizes para sempre",
mas bem que a minha vida
podia ser um eterno 
conto de fadas.

Imagem retirada da internet

Existe no meu coração

um grande buraco.
Você quem o fez.
Ele estava cheio de amor,
até o topo.
Você apareceu,
foi levando tudo devagarinho
e agora foi embora
deixando este vazio aqui.
Você não devolvia o amor
na quantidade que o tirava
e agora este buraco enorme
aqui está.
Não volte! Não precisa voltar.
Vou fazer outro amor
para quem mereça amar.

Imagem retirada da internet

Sonho

Sonhei com a tua boca grudada na minha
e a brisa quente que saia da tua respiração
em minha face.
Deitada fiquei
a relembrar teus abraços, 
teu rosto com a barba por fazer
a roçar no meu pescoço.
Assim o sonho era.
Achei que sonho ainda fosse mas,
quando a tua boca a minha encontrou
de leve me mordeste e 
vi que sonho não era,
sonho é estar contigo.


Imagem retirada da internet

Se eu pudesse mandar em meu coração,

tenha a certeza,
eu já teria feito isso a muito tempo.
Me pouparia o tempo gasto
a cuidar das feridas,
das dores sentidas por este órgão.
Eu não sofreria com a dor da separação
causada pelo afastamento que tive de ter
das pessoas amadas como amigas
e que de outro jeito me amavam.
Se eu pudesse mandar em meu coração,
amaria só a quem me ama.
E, se por ventura, eu viesse a amar
quem não me ama,
trataria de mandar,
a meu amigo do peito,
a deixar de ser besta,
e procurar outro dele
para amar com correspondência.
Mas eu não mando em meu coração
muito menos no cupido, maldito.
Então não me culpe por não te amar.
Eu tentei,
mas meu coração não sabe obedecer.

Imagem retirada da internet

domingo, 3 de julho de 2011

Engavetamento/ Arquivamento

     Na nossa vida, coisas acontecem que, mesmo querendo esquecer, elas ficam ali, nos rondando. Mesmo que sejam lembranças boas, é bom nos despregarmos as vezes delas para podermos continuar. Mas como "guardarmos" estes eventos? A melhor solução que eu encontrei foi dividir entre engavetar e arquivar.
     Arquivo todos já sabemos o que é. A imagem que temos dele é de uma enorme gaveta, empoeirada, lotada de material. Na teoria, devíamos guardar em arquivos o que precisa ser deixado mais de lado, distante, empoeirado, para só mexermos nele esporadicamente e quando foi muito preciso. Mexer no baú velho de fotos,  recortes e cartas velhas, pode ser esporadicamente tanto bom quanto ruim, depende do que se encontra no baú. No "arquivo da vida" seria a mesma coisa, mas como seria usado só as vezes tudo bem, afinal, lembranças boas trazem felicidade, as ruins, aprendizado.

     A gaveta, diferente do arquivo, é algo utilizado com mais frequência. Sendo assim, lá se deve guardar as coisas que não se pode esquecer, devendo ficar "sempre a mão" quando preciso. 
     É necessário lembrar que muito facilmente você pode transportar materiais da gaveta para o arquivo, assim mesmo como do arquivo para a gaveta. A lixeira eu só recomendo usar de último caso. Cuidado com o que for jogar fora, pode ser impossível de encontrar outro semelhante.

     Nesta arrumação, hoje eu arquivarei a minha infância, bons e maus momentos; só ousarei olhar para ela quando estiver me esquecendo que deixar de brincar, de sorrir, é para quem já morreu. Engaveto a minha paciência, nunca se sabe quando vai precisar dela. Arquivo a raiva das coisas que deixei de fazer; olhar para elas me lembrará que nunca mais posso fazer novamente o mesmo. Engaveto todos os meus problemas, irei  tirá-los um por um para resolver. A força, a coragem e a tranquilidade não vão em nenhum dos dois, andaram sempre comigo, são indispensáveis assim como o alimento. As vezes em que chorei de tristeza ficaram arquivadas, não estou em condições de recordar tão cedo tais os motivos. Os sorrisos vou deixar na gaveta, mas as gargalhadas nos arquivos para não perder jamais. Há tanto o que arrumar!! Ah, meu coração? Esse eu ainda não sei o que faço, a minha vontade é de arquivar até ficar cheio de poeira, teias de aranhas, por muito tempo até se curar de algumas pancadas da vida.
     Enfim, cada um se arruma como melhor convém.

Imagem retirada da internet


sábado, 2 de julho de 2011

Acontece que um dia

a gente se apaixona
e fica todo bobo
com cara de idiota.
Têm pensamentos lindos
só sonha coisas boas
- isto quando conseguimos dormir -
e só pensa coisas amorosas...

Mas um dia o amor acaba
e a gente chora
nas flores só vemos espinhos
e queremos ir embora
para longe de tudo
o que nos lembra amor.

Mas ai amamos outra vez
e o ciclo continua.
Voltamos a amar
assim como voltamos a chorar.

A vida é assim:
um dia temos flores,
no outro só espinhos;
depende de onde
se encontra o ciclo.

Imagem retirada da internet


domingo, 26 de junho de 2011

Poema

Estranho te ver com outro
Se diz que me ama
Então porque estás nos braços de outro?
Queria poder entender o teu olhar
Quando te olho nos olhos
Sinto como se brumas densas
O cobrissem me impedindo
De ver sua alma

Você diz as suas amigas
Que me ama
Que sou seu verdadeiro amor,
Mas ainda assim beija outros lábios
O que há?
Acaso nosso amor é impossível?
Feito Romeu e Julieta
Não podemos nos amar?

Se o for, acredite
Não hesitarei a subir no terraço de sua casa
Durante a noite de lua maravilhosa
Somente para nosso amor selar com um beijo sagrado
Passarei sob todo e qualquer obstáculo
Para sermos felizes

Porque não corre para meus braços
E não se entrega a este amor
Como eu já me entreguei?
Tua voz e teu olhar
Não saem do meu pensamento
A sua beleza tal qual a uma estrela
Me irradia, me entorpece
E fico feito bobo

Eu te amo!
Se esta é a sua duvida
Eu estou certo dos meus sentimentos
Falta agora você


Imagem retirada da internet

OBS: Este poema é prova de que não precisa necessariamente acontecer comigo para que eu escreva!!

terça-feira, 21 de junho de 2011

Brincando de casinha


Ontem voltando da faculdade, vi no ônibus que eu estava uma garota que devia ter lá para os seus dezesseis anos. Fui reparar nela quando eu já estava sentada e percebi um choro insistente de criança, e procurando, dei com o bebê no colo dela. De principio achei que fosse seu irmão, mas ela vinha sozinha no ônibus e não tinha mais ninguém com “cara” de ser mãe das crianças. Minha surpresa: a garota era mãe.

Fiquei me perguntando como uma adolescente, que vive em uma cidade grande, com acesso a escolas, tendo informações e tal, como ainda é possível que mesmo assim podem engravidar. Parece que é até por vontade própria, de querer mesmo ter o filho.

Já ouvi meios dos governos tentarem diminuir a gravidez na adolescência. Cada um! O que mais me surpreendeu foi colocar máquinas de preservativos nas escolas, mas seria esta a solução? Existem caixinhas espalhadas nos postos de saúde, e de graça. Já ouvi quem dissesse que o que falta é a informação. Mas será mesmo que é falta?

Pode até ser que em lugares afastados da cidade, aquele bem no meio do mato, sabe? Aonde a informação chega a cavalo, este mesmo. Pode até ser que nestes lugares sim, talvez a informação e as máquinas sejam a solução. No entanto, meu Deus, o problema abrange também os grandes centros, como pode ser então que estas medidas sejam boas?

A última informação de que tive a respeito do caso, foi sobre aulas de educação sexual nas escolas. Nisto já se falou de ensinar sobre o homossexualismo, sobre drogas, sexualidade, entre outros. Ainda não sei se seja esta uma boa medida. Na verdade, este seria uma obrigação dos pais. Nem sei qual seja a melhor solução para  resolver isto, estou pensando.

Existe um programa na MTV que é exatamente sobre o mesmo tema: gravidez na adolescência. Alguns dias eu assisti. Garotas com dezesseis anos, dos Estados Unidos, freqüentadores das melhores escolas, com informações a todo o momento, grávidas de garotos do mesmo círculo social. Como se explica isto?

A garota desceu do ônibus e o seu bebê chorando sem parar, e ela ainda pergunta: “Mas o que você tem hoje, hein?”. Uma criança brincando de casinha com um bebê de verdade. O que me dá medo é se chegar o dia dela se cansar de brincar, afinal, toda criança se cansa um dia do brinquedo.

Deus tome conta!

Imagem retirada da internet

domingo, 12 de junho de 2011

Luxúria (Isabella Taviani)

Dobro os joelhos
Quando você me pega, me amassa, me quebra,
Me usa demais
Perco as rédeas
Quando você demora, devora, implora sempre por mais
Eu sou navalha cortando na carne
Eu sou a boca que a língua invade
Sou o desejo maldito e bendito, profano e covarde
Disfaça assim de mim
Que eu gosto e desgosto, me dobro,
Nem lhe cobro rapaz
Ordene e não peça
Muito me interessa a sua potência, seu calibre e seu gás
Sou o encaixe, o lacre violado
E tantas pernas por todos os lados
Eu sou o preço cobrado e bem pago
Eu sou um pecado capital
Eu quero é derrapar nas curvas do seu corpo
Surpreender seus movimentos
Virar o jogo
Quero beber o que dele escorre pela pele
E nunca mais esfriar minha febre

Vídeo na música, site do youtube: http://www.youtube.com/watch?v=sRXmytSqVcE 

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Palavras...

Já não consigo mais me expressar em palavras,
é preciso chorar para dizer do que o meu coração está cheio...

Imagem retirada da internet

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Dança

Agarro-te para uma dança.
Encaixo tuas pernas nas minhas
e te aperto no meu peito.
Minha mão nas tuas costas
para te guiar,
sentir melhor teus movimentos.

De rosto colado
num ritmo insinuado, 
seguimos pelo salão.
Todos os olhares se voltam para nós.
Eu sinto teu coração bater 
resultado dos movimentos rápidos.

Num impulso
pego-te no colo e rodamos.
Um quase flutuar nas nuvens
ainda mais ao teu lado.

A música segue para o fim
e para melhor posar, 
deito-te em meus braços
e por um "tris" quase te beijo.

Preciso de outra dança.
Concede-me novamente esta honra?

Imagem retirada da internet

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Perdida

Estou perdida
Se alguém me encontrar,
diga que estou a minha procura

Retirada da internet

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Sem tempo!!!

Gente, desculpe!

Tantos fatos se sucederam estas últimas semanas. Como disse numa postagem antiga, eu fui viajar, voltei, ai peguei dengue (e que coisa do mal é a dengue), fiquei e ainda estou super atrasada com coisas da faculdade, tem evento por ai para ajudar a organizar, tem meu estágio que está super atrasado... JESUS! 

Estou sem tempo para escrever, não produzi nadica de nada, nem poema, prosa, carta, bilhete, nada de nada!!

Peço desculpas aos meus amigos, mas ando tão ocupada. Pensar em escrever algo, até pensei. Anotei as idéias na minha agenda para não perder "o fio" e poder trabalhar nele depois, mas até colocar tudo no papel e depois aqui, vai mais um tempo amigos.

Espero que possam me entender!

Mil beijos atrasados e até outra postagem que prometo tentar não demorar a vir!

Imagem retirada da internet

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Ahhh, descanso!!

       Gente, depois de uma semana de prova daquelas, depois de tantos fatos e acontecimentos que nossa, quase me enlouqueceram, finalmente férias. Tá, tudo bem, uma semana, tudo bem que a viagem é curta (um dia), mas para quem precisava tanto de um tempo, ir "aqui do lado" já é muito, hehe!!
       A música que mais seria a minha cara neste momento, entre tantas outras, é esta daqui. Não coloco o vídeo, mas fácil fácil vão achar na internet. 
       Enfim, só os vejo semana que vem, e se Deus quiser, voltarei bem melhor, estou precisando deste "tempo". Quero trazer muitas fotos, prometo postar algumas aqui. 

Beijinhos Carinhosos

Vida de Marola 
(Sandy e Júnior, com Luciano Huck)


Quebrei a rotina
E fui viajar
Buscava sossego
Um cantinho, um lugar
Em que eu e os amigos
Esquecêssemos da vida
Destino incerto com vista pro mar

Noronha, Floripa
Bonito, Itacaré
Não marco chegada ou saída
Bicho solto na maré
Chapada, Lençóis, Caraívas
Trancoso, Ilha Bela
Na terra, água ou ar,
Com os amigos em qualquer lugar

Momentos são esses
Que não vão voltar
Sem galhos, tropeços,
Intrigas, blá blá blá
Se vão para sempre,
Mas ficam na memória
O destino é certo tem vista pro mar

Noronha, Floripa
Bonito, Itacaré
Não marco chegada ou saída
Bicho solto na maré
Chapada, Lençóis, Caraívas
Trancoso, Ilha Bela
Na terra, água ou ar,
Com os amigos em qualquer lugar

Conversa...
Com vista pro mar
Encontro...
Com vista pro mar
Lembrança...
Com vista pro mar
Meus sonhos,
Ohhhh!!! Meus sonhos

Noronha, Floripa
Bonito, Itacaré
Não marco chegada ou saída
Bicho solto na maré
Chapada, Lençóis, Caraívas
Trancoso, Ilha Bela
Na terra, água ou ar,
Com os amigos
Na terra, água ou ar,
Com os amigos
Na terra, água ou ar,
Com os amigos em qualquer lugar...
E a vista pro mar...


segunda-feira, 4 de abril de 2011

Estrada

Saí
Fui dar uma volta.
Deixei celular em casa
e fui passear

Sem destino

Fui me encontrar 
comigo mesma
sozinha em pensamentos

Fui relaxar
ouvir os barulhos da vida,
buscar o equilíbrio 
através dos meus passos
pelas ruas do meu destino

Pensei em tudo no caminho:
família, estudos, trabalho, futuro...
amigos, os nem tanto amigos assim...

Me encontrei
Conversamos.
E eu disse a mim mesma que tudo é provisório,
das alegrias as tristezas
e que era preciso saber se adaptar a ambos.

Me disse tchau
e que se precisasse
saberia onde me encontrar, 
bastava caminhar...


Imagem retirada da internet

domingo, 20 de março de 2011

Momentos de Poetisa X

A inspiração não vem quando a gente quer
Ela aparece quando acha ser propício

Poetas, cronistas, compositores, escritores, músicos...
Ninguém manda nela.

Ela aparece quando estamos tristes,
Felizes, ansiosos, sem sono durante a noite...

No ônibus, em casa, na faculdade,
Sozinhos, em meio a multidão...

Apaixonados, solteiros,
Enrolados, casados, amigados...

Quando ela quer,
Aparece e
Psicografamos o que ela nos fala
Aos ouvidos do coração

É assim que ela age em nós
Poetas, cronistas, compositores, escritores, músicos...
Pessoas sensíveis à sua voz.


Imagem retirada da Internet

Momentos de Poetisa IX

É noite.
Aqui no telhado da minha casa
Olho as estrelas a procura de respostas,
Pois as estrelas e a lua
Sempre foram objetos de pensamentos de caras geniais,
Então imagino que elas eram respostas
Às suas indagações mais profundas.
Muitos deles ficaram loucos, coincidência? Não sei.
Vez ou outra, olho para a rua
A procura de um olhar conhecido.
Não encontro.
São pessoas comuns que passam.
Quem, por curiosidade, olha no telhado, imagina
O que posso estar fazendo aqui
Mas rapidamente volta para a sua vida e esquece a minha
Bem, ainda não tive respostas nem ao menos
Vi um olhar conhecido
Mas continuo aqui
Ainda não desisti.


Imagem retirada da internet

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Momentos de Poetisa VIII

Duas cabeças inclinadas
Com as bocas interligadas
E as línguas em valsa.
Os olhos fechados,
os movimentos suavizados
e a respiração controlada.
O pensamento nem está aqui.

As mãos dela na nuca dele.
As mãos dele na cintura dela,
Massageando e intensificando
aquele momento.
Ela na ponta dos pés
para encostar mais seu rosto no dele,
sentir seu cheiro.

Tudo está calmo e no silêncio,
só se ouve, aos ouvidos bem atentos,
a respiração deles.

Os dois corpos ficam mais pertos
e sentem que no peito um do outro
acontece uma grande festa.

Pilinga (Priscila)

Imagem retirada da internet

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Momentos de Poetisa VII

     Procurando algumas informações em uma agenda antiga, descobri algumas anotações minhas já esquecidas... Morri de rir relendo alguns e me assustei ao ler outros, hehe. Este faz parte de alguns que fiz no ano de 2009, antes de entrar na faculdade. Nem me lembro porque o fiz, mas está ai, espero que gostem.

Seu Floriano

Seu Floriano é pobre, brasileiro e cata papelão na rua,
Papelão, papel, latinha, plástico, vidro, garrafa pet...
Qualquer coisa serve.
Todo dia – antes mesmo do sol – seu Floriano levanta
Faz o café para a netinha, quanto tem, e sai com seu carrinho.

Tem dia que é bom,
O que é lixo vira material de troca
Para um dinheirinho.
Mas tem dia que a coisa não rende
E mal dá pra pão.

Seu Floriano mora com a neta de quatro anos
Que enquanto ele trabalha, ela fica com a vizinha
Pobre feito eles.
A mãe da menina, sua filha, morreu no parto,
De tão complicado e sem médicos...
O pai está na cadeia, preso porque roubou uma galinha
Para matar a fome da moça grávida.

Seu Floriano está velho,
Já não agüenta mais.
Ele chega em casa todo torto, o carrinho pesa,
Mas quando olha no rostinho da menina, pensa
“ – Ela não tem culpa, coitadinha.”

Amanhã seu Floriano começa mais um dia
Hoje tem um pouco de café, faz para a menina e sai
A garotinha acompanha com os olhos
Aquele corpo cansado dobrar a esquina e vê
A bandeira do Brasil pendurada no carrinho,
Presente do lixo,
Balançando com o vento
Mal sabe ela que o pano pendurado,
É o símbolo da esperança de seu Floriano.
O avô não sabe ler nem escrever,
Mas acredita mais que ninguém em
“Ordem e Progresso”.
Em seu curto vocabulário
Acredita que significa coisa boa,
Para sua família

E o velho segue,
Precisa trabalhar pois,
Para amanhã, não tem café.

Pilinga 

Imagem retirada da internet

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Volta a Rotina

Depois de quase dois meses, acabaram as minhas férias! Estavam ótimas, mesmo não ter ido viajar, me diverti muito assistindo filmes, indo dormir tarde, acordar mais tarde ainda, tomando sorvete, saindo vez e outra com amigos, escrevendo no blog, e por ai vai. Mas mesmo com esta maravilha toda, juro que comecei a sentir falta da faculdade, da escola, dos compromissos... Eu sei, férias são perfeitas, eu não deveria estar feliz por voltar a minha rotina mas sabe, é necessário passar novamente pela correria da vida para dar mais valor ao descanso. E outra, eu gosto do que faço, da correria, dos estudos, de comer e dormir no ônibus, de acordar cedo e dormir tarde (ou não dormir), de fazer trabalhos via MSN, de ler dezenas e dezenas de livros, de estudar para as provas, de fazer estágio, acordar pensando nos professores e dormir basicamente com eles em sua cabeça ainda, de ver os amigos só nos fins de semana e de vir para casa só para visitar a minha cama, haha! Tudo muito divertido! Mesmo! Gosto disso!!
Bom, durante este tempo todo, eu postei textos no blog sem problemas, vezes duas ou três vezes por mês, vezes tempos sem nada... Porém, de volta a rotina fica um tanto mais difícil, pois o tempo vai faltar, haha! Mas gostaria de avisar que não os deixarei livres tão fácil assim, pelo menos uma vez no mês eu passo para deixar algum texto, poema, recadinho, sinal de fumaça...
Sei que além de mim, muitos já voltaram ou estão voltando aos seus compromissos então: boa volta a todos vocês, com muito trabalho, mas descanso merecido nos dias de folga e, muuuuuita diversão também, pois ninguém é de ferro, e pensem que o carnaval está logo ai para ao menos mais uma semana de folga.
Aos que estão voltando ao trabalho, para a escola, faculdade, cursinho... Coragem. Façam valer esta volta. Começar algo novo nestes ambientes, ou mesmo em nossas vidas, ajuda a melhorar a nossa vida. Viva intensamente!!

Pilinga

 Imagem retirada da internet

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Momentos de Poetisa VI

Dormir com a chuva caindo na janela do quarto...
Sentir o cheiro de terra molhada...
Tudo trás em mim, sentimentos que não sei explicar.
Uma mistura de ansiedade com mansidão, 
pois me recordo de momentos passados
já esquecidos.
Mas ai a tranqüilidade toma conta de vez
E durmo embalada ao som
num ritmo maravilhoso
constante
da chuva.

Pilinga

Imagem retirada da internet